Conhecendo os principais provedores de computação em nuvem (parte 2)

Dando continuidade ao tema provedores de cloud computing, apresento nesta segunda (e última) parte do conteúdo, seguindo a linha das informações sobre a Amazon Web Services, outros fornecedores de serviços de computação em nuvem com mais participação no mercado.

Reiterando o que expliquei no primeiro artigo, as informações disponíveis neste artigo são úteis para você conhecer as empresas que estão investindo pesado na área e, seguindo as informações, planejar os seus estudos e carreira. São elas:

  • Microsoft Azure;
  • IBM Cloud; e
  • Anthos (antigo Google Cloud Platform).

A seguir, você confere as principais informações a respeito desses fornecedores de serviços na nuvem, como história, participação no mercado, cursos e certificações etc. Sem mais delongas, vamos continuar!

Conhecendo os principais provedores de computação e nuvem

Microsoft Azure

Como de praxe, a Microsoft é uma companhia que sempre lança produtos e serviços de TI bastante competitivos. Seja visando o usuário doméstico com sistemas desktop, seja visando as empresas com soluções de produtividade, servidores e computação em nuvem, a Microsoft está no grupo de elite, ainda que não domine o mercado.

Diante do sucesso adquirido com a linha de sistemas Windows ao longo de mais de 30 anos, introduzindo a maioria dos usuários à informática, a Microsoft utiliza dessa consolidação (com o plus do marketing) para captar os consumidores familiarizados com as suas soluções.

Na área de cloud computing, a Microsoft, por meio da plataforma Azure, é a maior concorrente da Amazon na atualidade. De acordo com os gráficos da pesquisa feita pela Right Scale, abaixo, a sua adoção pelas empresas é de 58% — embora a companhia de Bill Gates não tenha divulgado números concretos —, 10% a menos que a AWS.

Cabe destacar que o lançamento do Azure ocorreu em 1 de fevereiro de 2010. O período foi muito pertinente, pois foi quando a tecnologia começou a se popularizar na mídia, mas até então a AWS, pioneira, já vinha atuando há aproximadamente quatro anos.

Porém a maturidade dos últimos nove anos fez a plataforma Azure se destacar no mercado a ponto de fazer frente a qualquer outro provedor de computação em nuvem. O seu portfólio de serviços é bem diversificado, de modo a existir ferramentas para quase tudo com a tecnologia.

Serviços em destaque

Entre os principais serviços do Azure, destacam se as máquinas virtuais, blockchain, banco de dados e ambientes de trabalho para desenvolvedores de software. A seguir, mais detalhes sobre três das principais possibilidades que a plataforma oferece.

Function-as-a-Service

O conceito de Function-as-a-Service, como expliquei neste artigo sobre os principais serviços de nuvem existentes, se resume a recursos em nuvem sem que um servidor dedicado seja incluído no pacote. Basicamente, é como ter a infraestrutura à disposição somente quando ela se faz necessária.

Com isso, os recursos de infraestrutura são consumidos somente quando executada uma função (ou um código) da aplicação em desenvolvimento. A maior vantagem do serviço é a redução de custos operacionais, visto que o consumo é calculado sobre o uso esporádico do servidor.

Leia também:  Provedores de computação e nuvem - Conheça os principais (parte 1)

Blockchain

Se você alguma vez pesquisou a respeito de criptmoedas, certamente esbarrou-se no conceito de blockchain, que é uma tecnologia imprescindível para a segurança das transações com bitcoins e demais moedas disponíveis atualmente.

Resumida e superficialmente, o blockchain (cadeia de blocos) é um banco de dados capaz de fazer registros permanentes de transações e outras ações dissociadas a criptomoedas, tudo com a mais plena segurança.

O simples fato de o blockchain ser um banco de dados, torna a sua implementação junto à nuvem é, no mínimo, conveniente. Nesse contexto, o Azure Blockchain Service é referência em serviços do tipo, como plataforma para criação de aplicativos de blockchain, gerenciamento e controle, entre outros.

Máquinas virtuais

O Azure nos possibilita, também, a criação de máquinas virtuais em grande escala (até 128 vCPUs) e rede de alta velocidade. Além dos próprios sistemas operacionais, que podem ser Linux ou Windows, o serviço disponibiliza milhares de aplicativos de autoria de organizações diversas (Red Hat, Oracle, SUSE, IBM etc.).

Um aspecto interessante do serviço em questão é a compatibilidade com sistemas baseados em Linux. Embora seja uma plataforma Microsoft, o usuário não fica preso às soluções da própria, fator que nos possibilita avaliar a solução ideal pela relação custo-benefício.

Certificações e capacitação profissional

Podemos dizer que a Microsoft oferece aos interessados conteúdos muito decentes para compreensão de todas as ferramentas e serviços Azure, visando prepará-los para os exames de certificação. Antes disso, vejamos o que nos leva à especialização.

Anteriormente, mencionei que a AWS é o provedor de computação em nuvem mais implementado nas empresas do mundo todo. Porém cabe ressaltar que as grandes companhias, por exemplo, dificilmente escolhem um só fornecedor; na verdade, a diversificação (multi-cloud) é a estratégia da vez.

Por isso, é natural que haja grande demanda por profissionais certificados Microsoft para assessorar clientes com implementações no Azure. Há, por exemplo, diversas empresas parceiras que a própria Microsoft aciona para auxiliar os contratantes. Nesta seção de cases de sucesso é possível encontrar muitos exemplos.

Das certificações, o profissional / estudante tem a oportunidade de escolher entre quatro áreas de atuação: desenvolvimento, administração, arquitetura e consultor. Elas são bem parecidas com as opções da AWS e outros provedores de computação em nuvem.

A primeira opção, Developer, é voltada a programadores que desejam trabalhar com desenvolvimento e teste de software executados em ambiente Azure. A certificação Administrator, por sua vez, é para quem se atua ou pretende atuar na administração de sistemas.

Já as certificações de categoria Architect se destina a profissionais que almejam criar soluções para rodar no Azure seguindo os requisitos avançados de computação, redes, armazenamento e Segurança da Informação. Por fim, existem as certificações Consulant, obrigatórias para quem pretende trabalhar como consultor da Microsoft.

IBM Cloud

Outro provedor de computação em nuvem “de peso” é a IBM, companhia centenária que, historicamente, foi a primeira a desenvolver máquinas virtuais e referência mundial em mainframes. Com a larga experiência em virtualização e banco de dados, foi questão de tempo para que a IBM entrasse no páreo.

Leia também:  Conheça os 4 principais modelos de serviço de computação em nuvem

Porém a chegada da IBM no universo da computação em nuvem só aconteceu em 2014, um ano após a sua aquisição da SoftLayer, que já atuava no ramo desde a sua fundação em 2005 e começava a expandir os negócios pelos Estados Unidos, México, Holanda e Singapura.

Desde 2018 a SoftLayer passou a se chamar IBM Cloud, plataforma que segue em franco crescimento (já são 60 data centers espalhados por seis continentes), e aposta na sua experiência com os mais diversos setores da indústria para facilitar os processos de implementação e migração para a nuvem.

Outros diferenciais que a companhia busca enfatizar são a Segurança da Informação e os serviços voltados a Inteligência Artificial. Segundo o site oficial, ela dispõe de mais de 8.000 especialistas cuidando da segurança da infraestrutura e, sobretudo, dos conteúdos armazenados em seus servidores cloud.

Serviços em destaque

Além da própria infraestrutura, a IBM oferece vários serviços mais de 170 produtos e serviços segmentados em 17 categorias, tais como:

  • redes;
  • computação;
  • banco de dados;
  • mobile;
  • segurança;
  • armazenamento; e
  • virtualização (VMware).

Mas se tem um serviço que se distingue do que as demais plataformas ofertam é IBM Cloud Paks, um conjunto de soluções de software executadas em contêineres desenvolvido em parceria com a Red Hat. De acordo com a IBM, o serviço foi projetado para reduzir 84% do tempo gasto para desenvolver aplicações na nuvem.

Certificações e capacitação profissional

Os programas de capacitação da IBM Cloud funcionam de maneira um pouco diferente do que vimos até então. Aqui, por exemplo, você encontra diversos conteúdos online para estudar os fundamentos da computação em nuvem na plataforma IBM.

As certificações seguem os mesmos padrões da Amazon e da Microsoft, mas não há um roteiro específico para o exame, apenas um guia de estudos. Sendo assim, o que fazer para estudar? A IBM tem parceiros autorizados a ministrar cursos preparatórios, como é o caso da Global Knowledge.

Isso significa, infelizmente, que tornar-se um profissional de cloud computing certificado pela IBM exige muito investimento financeiro, pois o candidato precisa pagar para estudar e, também, prestar o exame. Em contrapartida, a companhia tem sedes no Brasil, onde oferece muitas oportunidades de carreira.

Anthos | Google Cloud Platform

O Google é conhecido pela oferta dos mais variados tipos de serviços de tecnologia, como a mais popular ferramenta de busca, serviços de publicidade online, produtos e serviços de produtividade e colaboração, entre outros. Pois então, os serviços em nuvem também fazem parte do extenso portfólio da companhia.

Lançado em 2008, o Google Cloud Platform — que passou a se chamar Anthos a partir de 2019 — tem oferta de serviços similar a da concorrência, porém com o plus de outros serviços que rodam na nuvem (Android Enterprise, G Suite, Google Maps Platform, Chrome Enterprise etc.). Mas a plataforma não se resume a isso.

Leia também:  04 Modelos de Computação em Nuvem - Aprenda Como Escolher o Seu

Pode-se dizer que o Google adotou uma estratégia muito inteligente para o Anthos crescer no acirrado mercado: fornecer o que chamamos “open cloud”, isto é, uma nuvem de código aberto (open source).

A nuvem aberta permite a integração do ambiente Google (e aplicações nele desenvolvidas) com qualquer outro, aproveitando o forte embalo da estratégia de multi-cloud. Inegavelmente, é um fator que estimula as empresas a experimentarem os serviços para tornar as operações ainda mais complexas.

Serviços em destaque

Em relação à AWS, o Anthos ainda não se aproxima na quantidade de serviços disponíveis, mas há categorias em que a plataforma do Google se destaca, a exemplo dos dois serviços, abaixo.

Serviços de Analytics

Um dos investimentos mais significativos do Google para o Anthos foi a aquisição da plataforma de business intelligence Looker, cujos recursos foram adicionados ao serviço BigQuery, serviço de armazenamento de dados sem servidor.

Em complemento ao BigQuery, o Anthos disponibiliza o Cloud Dataprep, usado para preparação de dados (estruturados e não estruturados) para que eles sejam analisados mais facilmente a partir de gráficos e filtros.

Além desses há muitos outros serviços de Analytics consideravelmente atrativos para empresas que trabalham com análise e coleta de dados. Afinal, o Google tem larga experiência no assunto.

Istio

O Istio é um projeto open source projetado pelo Google para Kubernetes (ferramenta open source para automação e orquestração das operações de contêineres Linux). Por ser uma solução de código aberto, o Istio é compatível com outros sistemas de orquestração.

Certo, mas o que o Istio faz? Em termos básicos, ele funciona como uma malha de serviço, permitindo ao desenvolvedor gerenciar e monitorar os microsserviços da aplicação e, com isso, evitar que algum componente sofra sobrecargas ou qualquer problema capaz de interrompê-lo.

Certificações e capacitação profissional

Em relação a certificações, o Anthos oferece meios similares aos da Amazon Web Services, Microsoft Azure e IBM Cloud, sendo os seus títulos:

  • Associate Cloud Engineer;
  • Professional Data Engineer;
  • Professional Cloud Architect;
  • Professional Cloud Developer;
  • Professional Cloud Network Engineer;
  • Professional Cloud Security Engineer; e
  • G Suite.

Para estudar as soluções do Anthos, você pode optar por cursos de terceiros ou buscar por conteúdos e mais informações na seção de treinamentos da página Google For Education.

Conhecemos até aqui a maior parte dos maiores e mais influentes provedores de computação em nuvem do mercado. Porém cabe destacar (como menção honrosa, talvez) o Alibaba Cloud, subsidiária do grupo chinês Alibaba, que também oferece serviços interessantes que iriam render um bom tópico.

Restou alguma dúvida a respeito do assunto? Deseja complementar o texto com mais informações? Só deixar o seu comentário!

ebook completo e Gratuito

Aprenda a Dominar o Linux De Uma Vez Por Todas

baixe sua Cópia

APRENDA A DOMINAR O LINUX