Debian 10 Buster: Guia de Instalação Completo

JUNTE-SE A MAIS DE 110.000 PESSOAS QUE JÁ TEM UMA CÓPIA

Ubuntu: Iniciando com Linux de maneira prática e rápida

debian 10 guia de instação

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Em julho de 2019 foi anunciado o lançamento do Debian 10 (“Buster”), a nova versão da distribuição mais estável do universo Linux. No mesmo período, a comunidade disponibilizou os arquivos ISO para que os usuários começassem a instalar o Debian 10 — e chegou a hora de você aprender o procedimento.

Antes de iniciarmos, algumas recomendações: se você é iniciante no assunto e ainda não sabe o que são distribuições, dê uma olhada neste artigo; caso já tenha noções básicas, veja os conteúdos do blog que escrevi sobre Debian, Ubuntu, CentOS, Red Hat Enterprise Linux (RHEL), Slackware e Mint.

debian 10 guia de instação

Outra sugestão de leitura bastante pertinente é o mais recente artigo sobre particionamento de disco no Linux, ideal para aprender a instalar o Debian 10 diretamente no computador de um jeito seguro. Se preferir, crie uma máquina virtual com o VirtualBox.

Devidamente atualizado? Então vamos nos ater aos tópicos do guia. Primeiramente, veremos quais são os requisitos básicos do sistema e procedimentos iniciais. Em seguida, um passo a passo do processo de instalação mais configuração. No fim do artigo, criaremos um servidor básico no Debian Buster (opcional).

Sem mais delongas, vamos começar!

Primeiros passos para instalar o Debian 10

Embora a distribuição tenha acabado de sair do forno e ofereça muitos recursos, você pode instalar o Debian 10 até mesmo em computadores antigos. Encontrou um CPU abandonado por aí? Veja se ela cumpre com os requisitos mínimos a seguir:

  • Memória RAM: 2 GB;
  • Processador: Dual Core (2 GHz);
  • Espaço em disco: 10 GB;
  • Leitor de mídia: USB e / ou DVD;
  • Conexão com a Internet: opcional.

Por mais modesta que seja a configuração acima, é possível até criar um servidor básico na máquina usando o Debian 10, prolongando a sua vida útil.

As imagens do Debian estão disponíveis na página oficial no formato ISO (link 1 e link 2). Selecione a versão compatível com a arquitetura do computador (amd64, i386 etc.), o tipo de mídia desejado (DVD, Blu-ray, CD, USB…) e o método de transferência (torrent, link direto ou jigdo).

Método de instalação

Como expliquei na introdução, você pode instalar o Debian 10 no próprio disco rígido (particionado, preferencialmente). Isso o permitirá que usufrua do sistema em sua mais alta performance.

Partindo para esse caminho, é necessário gravar a imagem que você baixou em um DVD ou criar um pendrive bootável — sugiro que baixe o Unetbootin ou Etcher para isso, pois são rápidos e fáceis de usar.

Tudo pronto para começar? Então insira a mídia (ou carregue a ISO na máquina virtual) , configure o sistema para inicializar a partir do dispositivo USB / leitor de DVD e aguarde o carregamento do menu e selecione “Graphical install” ou “Install”.

Observação: se você baixou a imagem live install, selecione a opção para testar o sistema sem fazer a instalação.

Procedimento de instalação no modo gráfico

O guia de instalação gráfico é fácil de usar a ponto de tornar o procedimento simples. Selecionando a segunda opção (“Install”) você não deixa de ser guiado por menus e opções, porém o ambiente é menos sofisticado — o que nada influencia em termos de dificuldade. Aqui, prosseguiremos com o modo gráfico.

Leia também:  NTP: Sincronize Os Relógios Dos Computadores E Servidores da Sua Rede

Assim que concluído o boot, selecione a opção Graphic Install no menu inicial para iniciar a instalação do Debian 10 no modo gráfico. Em seguida, o assistente solicitará a escolha de opções básicas:

  • idioma de preferência;
  • timezone (ex: “Brasil”); e
  • configuração do teclado (ex: “Brazilian”).

Após as confirmações o sistema fará uma série de checagens dos componentes. O próximo passo é escolher nomes para host e domínio (ambos opcionais), seguido da senha root (configure uma senha bem reforçada) e do registro de um usuário não administrativo. Finalizando as etapas preliminares, selecione o fuso horário (time zone, em inglês) de acordo com a sua localização.

Particionamento de disco

Já abordei essa questão em diferentes ocasiões. Um dos meios usados para se fazer a formatação de disco é utilizando-se o instalador do sistema operacional.

No processo do Debian 10, isso pode ser feito automaticamente, selecionando a opção “guides partitioning”, ou manualmente (criando e / ou escolhendo a partição desejada), optando por “manual partitioning”.

Se o Debian 10 é o único sistema a ser instalado, reservando-se assim o HD por completo, vá em “Guided-use entire disk” — todo conteúdo que houver no disco será removido, então é bom se certificar de ter feito backup antes de prosseguir.

Para essa última opção, inclusive, recomendo que marque a segunda alternativa, a qual fará a instalação com LVM (Logical Volume Manager). Por quê? Porque isso lhe permitirá usar o GParted ou outras ferramentas de gerenciamento de disco para redimensionar a partição.

Em seguida, confirme a partição / disco que receberá a instalação e, então, selecione um dos esquemas disponíveis. Quais são esses esquemas (ou schemes, se estiver usando o instalador em inglês)?

Selecionando um dos três schemes disponíveis

Na tela, são apresentados os seguintes schemes para fazer algumas configurações nos diretórios, sendo eles:

  • All files in one partition (recommended for new users);
  • Separate /home partition; e
  • Separate /home, /var, and /tmp partitions.

O primeiro da lista é o mais convencional. Ele consiste na gravação de todos os arquivos em uma só partição. As demais delas permitem que isolemos o diretório /home para uma partição própria e, também, fazer o mesmo incluindo os diretórios /var e /tmp.

Como fazer a melhor escolha? Antes de tudo, é essencial que você entenda a estrutura de diretórios do Linux a ponto de saber o que implica cada diretório. Por ora, vamos selecionar o primeiro esquema.

Nas próximas telas você apenas precisa confirmar as mudanças que está prestes a fazer. Perceba que o sistema nos notifica de que algumas alterações não podem ser desfeitas após a instalação ser concluída. Ou seja, qualquer erro só poderá ser corrigido mediante formatação.

CD / DVD adicional e mirror

Depois de passarmos pelo particionamento de disco, o assistente nos leva a duas telas de configurações facultativas. A primeira é voltada ao usuário que tem um CD ou DVD adicional a ser acionado pelo gerenciador de pacotes. Se você não dispõe de mídia apenas marque “No” e prossiga.

Na janela seguinte o Debian nos pergunta se queremos adicionar um espelho de rede (ou mirror network) para assegurar versões atualizadas de pacotes e arquivos do sistema que podem estar faltando — isso pode acontecer em decorrência de falhas de gravação, mídia danificada etc.

Leia também:  7 vantagens de usar Linux que todo profissional de TI deveria conhecer de uma vez por todas

Você não deve se preocupar com essas configurações. De preferência, só as utilize se tiver experiência prévia com o processo.

Ambiente desktop e utilitários

Chegou a hora de selecionar o ambiente desktop com o qual você deseja trabalhar. O Debian 10 oferece uma série de interfaces, entre elas: Cinnamon, MATE, GNOME e LXDE. Sem dúvidas, isso é uma grande vantagem do Debian; você pode escolher a interface de sua preferência.

Mais abaixo, você pode selecionar alguns utilitários básicos do Debian, como servidor para impressora, servidor web, SSH… Nenhum deles é obrigatório, mas se você pensa em utilizar o sistema como server — ensinarei a fazer isso mais adiante —, convém instalá-los.

Concluída a etapa, só aguardar o progresso e confirmar a instalação do Grub para que o boot ocorra sem problemas. Quando tudo estiver pronto, remova a mídia de instalação e reinicie a máquina. Pronto! O seu Debian Buster já está funcionando. Vamos fazer as configurações básicas nele?

Configuração básica do Debian Buster

Como em todo e qualquer sistema operacional recém-instalado, há uma série de procedimentos iniciais a serem feitos para que possamos usufruir ao máximo das funcionalidades e, claro, munir o sistema de suas ferramentas prediletas.

Instale o pacote sudo para criar usuário administrativo

Se você seguiu à risca o passo a passo deste artigo, o que há de mais básico já foi configurado, então vamos começar com o sudo. Para isso, faça o login com as credenciais root que você criou durante a instalação.

Agora, abra o terminal e digite o comando apt install sudo -y para instalar o pacote sudo e, depois, usermod -aG sudo nome_de_usuário para adicionar ao grupo de usuários com privilégios administrativos. Concluído? Então faça o log out e volte a acessar o Debian 10 como usuário comum.

Atualize todos os pacotes do Debian Buster

Configurar o usuário sudo nos permite fazer várias coisas que requerem permissões avançadas. A principal delas é a atualização manual do sistema operacional e seus pacotes por meio dos comandos sudo apt update e sudo apt upgrade.

Ative o firewall no Debian

As distribuições baseadas em Linux são seguras em vários aspectos, mas se quisermos elevar a proteção, temos à disposição soluções de firewall de alta qualidade, como o Firewalld e o NFTables.

No Debian 10, o UFW é o firewall mais indicado. Instale-o pelo comando: sudo apt install ufw. Para mais informações e configurações recomendo que leia este artigo especial sobre o Uncomplicated Firewall.

Implementação de servidor com o Debian 10 (opcional)

Depois de todo o processo de instalação, você tem à disposição tanto um desktop completo quanto um servidor. Porém é necessário fazer algumas configurações para que o modo server do Debian seja implantado. Vamos aprender a fazer? Lembrando que os procedimentos são apenas para fins didáticos.

Por onde começar? Caso o OpenSSH server ainda não tenha sido instalado, abra o terminal do Debian 10 e digite o seguinte comando:

apt-get -y install ssh openssh-server

Aguarde a conclusão do processo e você passará a ter condições de instalar clientes SSH (PuTTY, por exemplo) para estabelecer comunicação entre o Debian 10 e outras máquinas por meio do protocolo, ou mesmo utilizar o OpenSSH para isso.

Leia também:  41 softwares para Linux que são a alternativa para qualquer outro que você utiliza hoje

Configurações iniciais do servidor

Para configurar o servidor no Debian, é necessário obter um endereço de IP (Internet Protocol) estático — por padrão, os sistemas operacionais geram IPs dinâmicos. Como conseguir um? Comece pela instalação do pacote net-tools:

sudo apt install net-tools

Agora, descubra o seu IP atual digitando o comando ip ª Comece pela instalação do pacote net-tools:

sudo apt install net-tools

Agora, descubra o seu IP atual digitando o comando ip a. Utilizando o editor de texto (o padrão do Debian Buster é o Nano, mas você pode instalar outros programas do tipo), edite o arquivo /etc/network/interfaces e, em seguida, faça os ajustes conforme o exemplo.

nano /etc/network/interfaces
# This file describes the network interfaces available on your system
# and how to activate them. For more information, see interfaces(5).
source /etc/network/interfaces.d/*
# The loopback network interface

auto lo

iface lo inet looback

# The primary network interface

allow-hotplug ens33

 iface ens33 inet dhcp

# This is an autoconfigured IPv6 interface

iface ens33 inet6 auto

No trecho em destaque, substitua as informações de acordo com o exemplo para configurar o IP estático:

# The primary network interface

auto ens33

 iface ens33 inet static

 address 192.168.0.100

 netmask 255.255.255.0

 network 192.168.0.0

 broadcast 192.168.0.255

 gateway 192.168.0.1

# This is an autoconfigured IPv6 interface

iface ens33 inet6 auto

Podemos utilizar outro endereço de IP estático? Sim, a escolha fica a seu critério. Agora, valide a nova configuração reiniciando a sua rede usando o comando:

 systemctl restart networking

Concluída a reinicialização, vamos editar o arquivo /etc/hosts, no qual incluiremos o nome do servidor com o domínio (neste caso, servidor1.domínio.com). Digite nano /etc/hosts e deixe a configuração similar ao exemplo:

127.0.0.1 localhost.localdomain localhost

192.168.0.100 servidor1.domínio.com server1

# The following lines are desirable for IPv6 capable hosts

::1 localhost ip6-localhost ip6-loopback

ff02::1 ip6-allnodes

ff02::2 ip6-allrouters

Se você não chegou a digitar um nome para o host durante a instalação do Debian, faça isso editando o arquivo /etc/hostname, preenchendo apenas o nome do servidor (servidor1) sem o domínio. Para finalizar a configuração da rede, reinicie-o (systemctl reboot) e, ao logar-se, verifique se as informações estão corretas:

hostname

hostname -f

[email protected]:/home/administrator# hostname

servidor1

[email protected]:/home/administrator# hostname -f

servidor1.domínio.com

[email protected]:/home/administrator#

Pronto! Você acaba de criar um servidor Debian 10 pronto para usar. Muito fácil, não é mesmo?

Depois de aprendermos a instalar o Debian 10 e criar um servidor com a mais nova distro Linux, chegamos ao fim de mais um tutorial. Qualquer dúvida que tenha ficado no ar você pode tirá-la nos comentários ou consultar a FAQ do Debian GNU/Linux (link 1 e link 2), em inglês.

No mais, fica o convite para acesso à aula gratuita do curso Profissionais Linux, o ponto de partida para dominar o Linux de uma vez por todas!

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Artigos Recentes

ebook completo e Gratuito

Aprenda a Dominar o Linux De Uma Vez Por Todas