Traceroute: Exemplos de Utilização Para Mapear O Caminho De Pacotes Na Sua Rede

Ao conectar-se a um site da web (Google, por exemplo), você tem ideia do caminho percorrido por pacote de dados? Isto é, o trajeto de cada pacote desde a origem até o destino? Essa é uma típica situação que o Traceroute é capaz de resolver.

Compreender todos os pontos que interligam os hosts (local e remoto) na transmissão de dados é importante em muitos sentidos. Entretanto, a informação é providencial quando determinado pacote não chega ao destino — é preciso mapeá-lo para entender a razão da falha.

Outro ponto em que mapear a rota do pacote é relevante: a Segurança da Informação. As informações coletadas a partir do Traceroute são elementares para identificar um desvio de destino ou invasão na rede.

Em outras palavras, a função do Traceroute é extremamente útil para profissionais e redes corporativas. Contudo, se você ainda não sabe o que é o Traceroute e como ele funciona, o presente artigo visa esclarecer as suas dúvidas. Acompanhe!

APRENDA A DOMINAR O LINUX

Aprenda a dominar o LINUX de uma vez por todos, pegue sua cópia

  • Ferramentas para instalar softwares adicionais
  • Shell do LINUX passo a passo, e muito mais...

traceroute comandos e exemplos

O que é o Traceroute?

O Traceroute é uma ferramenta operada a partir de comandos no terminal do Linux. A função do programa é exibir a rota completa para mapear a transferência de um arquivo.

Para isso, o Traceroute utiliza o campo TTL (Time to Live), o qual é exibido quando verificamos conectividade via Ping. Nesse caso, o TTL descreve os saltos de um determinado pacote na rede, delineando, assim, a vida útil dele.

Mas por que isso é importante? O principal motivo é que o TTL evita que um pacote fique perdido na rede, trafegando em looping. Além disso, com as informações coletadas, é possível entender o caminho do pacote e, assim, despistar invasores de sistema.

Leia também ...   Servidor Apache - Conheça o Servidor Web Mais Utilizado no Mundo

Na prática, o Traceroute busca incrementalmente o IP de todos os roteadores entre origem e destino. Quando a quantidade de endereços é 1, isso significa que o pacote não tem destino e, portanto, é descartado. Do contrário, a ferramenta descreve a rota completa.

Observação: é comum que o motivo para asteriscos aparecerem no lugar das informações seja o bloqueio do firewall. Verifique as configurações antes de aprofundar a investigação do problema.

Interpretando os resultados do Traceroute

Vamos analisar mais profundamente o funcionamento do Traceroute na prática. Abra o terminal e digite o comando traceroute + o site que você deseja verificar. Exemplo:

traceroute e-tinet.com

Aguarde alguns segundos até a conclusão do processo. Perceba que uma quantidade de linhas seguidas de endereços de IP, sites e indicadores de tempo — milésimos de segundo (ms) — serão impressos em tela.

Na primeira linha são exibidos o nome e o Ipdo host destino. Em seguida, o número máximo de saltos e o tamanho dos pacotes que, em tese, são enviados.

As demais linhas representam cada salto do pacote até o destino final. Logo, elas se iniciam pelo host de origem, percorre vários outros hosts e, se tudo ocorrer bem, termina no destino.

Tenha sempre em mente que a sintaxe do Traceroute para cada linha é:

[nome do host] [endereço IP] [tempo de roundtrip *]

Exemplo:

732.h3u.thn.hf39.net (182.5.13.222) 19.158 ms 27.840 ms 22.071 ms

Observação: roundtrip é o tempo necessário de ida e volta do pacote em milésimos de segundo.

Após essa breve explicação do funcionamento do programa, que tal começar a testá-lo em seu sistema operacional? A seguir, aprenda a instalar o Traceroute nas plataformas Linux, Mac e Windows.

Como executar o Traceroute no seu sistema operacional?

O comando do Traceroute funciona de maneira similar entre os principais sistemas operacionais. No caso do Windows em especial, há uma sutil diferença no comando a ser digitado, conforme veremos neste tópico.

Leia também ...   30 ferramentas para hackers que podem ser usadas no Kali Linux (PARTE 2)

Linux

Por padrão, o Traceroute não costuma acompanhar as distribuições Linux. Então é provável que você tenha de instalá-lo em sua máquina; digite:

sudo apt-get update

sudo apt-get install traceroute

Com a ferramenta instalada, digite o comando traceroute seguido do site, ou, dependendo da distro, digite:

traceroute -I google.com

Mac

No sistema operacional da Apple o procedimento é o mesmo, exceto quanto à instalação. Logo, basta abrir o terminal e digitar:

traceroute google.com

Se preferir fazê-lo a partir de uma interface gráfica, pesquise por Network Utility no sistema e, em seguida, clique no ícone para abrir o programa. No menu superior, clique em Traceroute, preencha o campo com o endereço do site e clique no botão Trace.

Windows

Com o Windows em execução, clique com o botão direito no ícone do Windows e, em seguida, vá em Windows PowerShell (Admin). Isso fará com que o prompt de comando seja aberto com privilégios de administrador.

Quando o prompt estiver devidamente carregado, digite o comando tracert seguido do nome do site, servidor ou IP de destino. Por exemplo:

tracert google.com

Muito fácil, não é mesmo? Agora, vejamos alguns exemplos de como podemos usar os recursos do Traceroute.

3 exemplos de utilização do Traceroute

Destacamos três tarefas simples, porém úteis, que o Traceroute nos permite executar. Vamos a elas!

Ativar a notificação de tempo de espera

O tempo padrão usado pelo Traceroute pode ser modificado de acordo com as suas preferências. Como fazê-lo? Digite a opção -w seguida do tempo de espera (em segundos). Exemplo:

traceroute google.com -w 2.0

Nesse caso, determinamos que o Traceroute deve aguardar no máximo 2 segundos por resposta em cada salto.

Desativar o mapeamento de IP e hostname

Se você preferir que o Traceroute não lista o nome do host e nem o endereço IP de referência, basta utilizar a opção -n.

traceroute google.com -n

Configurar o valor do campo TTL

Por padrão, o Traceroute inicia o mapeamento pelo valor 1. Contudo, se algumas informações forem desnecessárias e você não queira vê-las exibidas em tela, use a opção -f + o valor TTL. Exemplo:

traceroute google.com -f 6

traceroute to google.com (74.129.938.022), 30 hops max, 60 byte packets

6 suk05s03-in-f1.1e100.net (74.129.938.022) 88.415 ms 90.104 ms 88.677 ms

Entendeu como utilizar o Traceroute na sua máquina? Agora você pode compreender todo o caminho que um pacote percorre até chegar ao destino. Supondo que esteja administrando uma rede corporativa, as informações transmitidas pela ferramenta serão fundamentais para mantê-la protegida.

Leia também ...   Pendrive não formata? Veja Aqui 5 Soluções Para Resolver o Problema

Falando em possibilidades carreira, já pensou no quanto o conhecimento sólido em Linux pode ajudá-lo a alcançar os seus objetivos? Se você já despertou para essa realidade do mercado, recomendo que conheça o site Profissionais Linux para receber mais informações

Sobre pedrodelfino

Trabalha a mais de 14 anos com administração de sistemas LINUX, dedicado em ensinar novos profissionais a atuar com servidores. Saiba mais aqui. "Caso queira participar de uma aula online comigo utilize o formulário Acima"