Firewall Linux: 4 Soluções Para Facilitar O Processo De Implantação

Boa parte dos iniciantes no sistema Linux tem dúvidas quanto à importância do firewall, seja em ambientes domésticos, seja em corporativos. Se você convive com dúvidas a respeito do assunto, adianto: chegou ao lugar certo. Aqui, explico a função desse tipo de ferramenta e, também, apresento uma série de soluções de firewall Linux.

Começando pela definição dada por Wes Noonan, engenheiro de sistemas da Cisco e coautor do livro Firewall Fundamentals (disponível em inglês), muitas pessoas pensam o firewall como:

Um dispositivo residente na rede e que controla o tráfego que passa por seus vários segmentos, mas ele pode, também, ser implementado nos sistemas em si — os chamados host-based firewalls. De qualquer forma, o objetivo é sempre o mesmo: fornecer um método de impor uma política de controle de acesso.”

Em outras palavras, o firewall é um mecanismo configurado pelo administrador da rede implementar regras e privilégios dos usuários em relação ao que se é permitido fazer no ambiente em questão, sem a necessidade de intervenção humana.

Agora que já temos uma definição básica para o firewall e sua principal função, que tal conhecermos as soluções disponíveis? Abaixo, listei quatro softwares de firewall Linux altamente úteis e completas em termos de recursos.

firewall Linux 4 opções

1. Firewall Linux Com Iptables

O iptables é uma solução de firewall Linux bastante poderosa que, como o próprio nome diz, tem a sua estrutura composta por tabelas — para entender mais a lógica das tabelas do iptables, já temos um artigo em que abordo o assunto. Sem dúvidas, é um dos melhores programas de firewall à disposição.

Por meio das camadas do firewall (ao todo são três), o sysadmin consegue estabelecer regras avançadas para proteger a rede e controlar os pacotes que por ela trafegam e, de quebra, pode instalar extensões. Em contrapartida às suas funcionalidades de alto nível e flexibilidade, dominar o iptables requer dedicação e estudo.

Instalação do iptables no CentOS

Baseado no Red Hat Enterprise Linux, o CentOS é um dos principais sistemas operacionais voltados a ambientes de trabalho. Sendo assim, aprender a instalação do iptables nessa distro é uma atividade, no mínimo, conveniente.

Leia mais:  Sincronização de arquivos no Linux - 10 formas de usar o Rsync

O único pré-requisito para a implementação é a habilitação de uma conta com privilégios sudo. Caso tenha algum firewall instalado na máquina, desative-o. A solução padrão do CentOS é o Firewalld — que conheceremos mais adiante. Para desativá-lo, digite a sequência de comandos:

sudo systemctl stop firewalld #encerrará o processo
sudo systemctl disable firewalld #desativará a inicialização automática junto ao boot do sistema
sudo systemctl mask --now firewalld #impedirá que outros processos acionem o Firewalld

Concluídas as etapas preliminares, vamos começar a instalação dos pacotes do iptables e, em seguida, iniciar a aplicação. Digite:

sudo yum install iptables-services
sudo systemctl start iptables

Agora, você pode usar o comando -nvL para verificar as regras correntes do firewall. Quaisquer alterações passam a vigorar após a reinicialização do sistema operacional.

2. Firewalld: Firewall Linux No Padrão RedHat

Aproveitando que já o mencionamos, o Firewalld segue presente na lista como uma das melhores e mais utilizadas soluções de firewall Linux. Como falamos no tópico anterior, ele vem instalado por padrão no CentOS — e em todas as distros baseadas no Red Hat Enterprise Linux (RHEL).

Para aprender mais sobre a implementação do FirewallD, veja também o artigo abaixo;

Com suporte aos protocolos IPv4 e IPv6, fora os diversos recursos, o Firewalld traz vantagens como a aplicação imediata de novas configurações. Ou seja, as mudanças não requerem reboot. Isso é possível graças à função runtime configuration, a qual permite que novas regras sejam aplicadas instantânea e temporariamente.

Elucidando melhor a questão, o Firewalld é separado por dois tipos de configurações: runtime e permanent. A runtime estabelece as alterações junto ao kernel, porém não as salva na configuração permanente, bastando o encerramento do firewall para que sejam desfeitas.

O mais legal disso é que o administrador tem condições de realizar testes e, se quiser, tornar definitivas as configurações experimentais. A conversão de runtime para permanet é realizada por meio do comando firewall-cmd, como no exemplo:

firewall-cmd –runtime-to-permanent

Gostei, mas como faço para instalá-lo no Linux?

Se você utiliza o Ubuntu, por exemplo, é necessário, primeiramente, desinstalar o UFW — seu firewall padrão. Para remover o UFW e suas dependências, digite:

sudo apt remove --auto-remove ufw

ou

sudo ufw disable #isso apenas desativará o firewall

Tendo o caminho livre de conflitos para a recepção do Firewalld, digite a seguinte sequência de comandos:

sudo apt install firewalld
sudo systemctl enable firewalld #habilitará o Firewalld e fará com que o firewall abra durante o boot do sistema
sudo systemctl start firewalld
sudo firewall-cmd --state #este comando apenas confirmará se o Firewalld está funcionando

3. UFW: O Firewall do Ubuntu

Reiterando, assim como o Firewalld para sistemas baseados no RHEL, o UFW também é um firewall padrão, mas do Ubuntu. O seu nome é um acrônimo para Uncomplicated Firewall, ou seja, o projeto UFW visa proporcionar facilidades ao usuário iniciante.

Leia mais:  Systemd runlevels: saiba o que é e como gerenciá-los no Linux!

Aproveite também para ver um tutorial completo do UFW no artigo:

Na prática, ele é uma versão descomplicada do iptables, visto que sua estrutura é composta por uma das interfaces do iptables, a qual simplifica o processo de configuração do firewall.

Em comparação ao iptables, que é uma ferramenta complexa e pouco amigável para iniciantes, o UFW é consideravelmente mais fácil de utilizar e, ao mesmo tempo, embora com menos recursos, pode garantir ótima proteção a uma rede de computadores.

Aliás, se você prefere iniciar o contato com um firewall Linux a partir de uma interface gráfica, baixe o GUFW. Trata-se da versão gráfica do mesmo firewall — ótima para usuários que estão migrando do Windows e, naturalmente, adaptando-se ao Linux.

Como instalar o UFW?

Se você chegou a desinstalar o UFW de seu Ubuntu, apenas digite o comando apt install ufw -y — o mesmo vale para o Debian. Agora, caso pretenda instalar no CentOS, é necessário não apenas desinstalar o Firewalld, mas baixar o repositório EPEL em seu sistema. Digite:

yum install epel-release -y

Assim que instalado o repositório, utilize o seguinte comando para instalar o UFW:

yum install --enablerepo="epel" ufw -y

Finalizando, digite o comando ufw enable para habilitar o firewall para inicializar automaticamente, junto ao sistema operacional.

4. Nftables

O nftables é um framework compatível com o iptables que tem como propósito ser uma alternativa otimizada a este. De acordo com a wiki dos desenvolvedores, problemas envolvendo inconsistências no código, atualizações e sintaxe são algumas das correções promovidas pelo nftables.

Caso você precise de um material mais completo sobre o NfTables, acesse o artigo abaixo:

Leia mais:  AWK: Como Otimizar E Adicionar Recursos Ao Shell Script No Linux

Em face disso, o usuário pode notar diferenças na sintaxe, que é mais simples e intuitiva no nftables, na flexibilidade, pois ele permite que especificar várias ações em uma só regra, e nas possibilidades de aplicar configurações avançadas de tabelas.

Qual é o procedimento de instalação?

Antes de seguir com a implantação do nftables, é necessário instalar uma série de dependências, sendo elas:

  • init-system-helpers: sudo apt install -y init-system-helpers;
  • libc6: sudo apt install -y libc6;
  • libgmp10: sudo apt install -y libgmp10;
  • libmnl0: sudo apt install -y libmnl0;
  • libnftnl4: sudo apt install install libnftnl-dev; e
  • libreadline6: sudo apt install -y libreadline6.

Todavia, por mais que estejamos falando de um firewall robusto, a instalação do nftables é muito simples. No Ubuntu, certifique-se de que nenhum firewall esteja ativo e, então, abra o terminal e digite:

sudo apt-get install -y nftables

Curtiu as sugestões de firewall Linux listadas no conteúdo? Uma das lições importantes que aprendemos ao conhecê-las é que o iptables é a base para a maioria das soluções, sendo ela a mais difícil de dominar, enquanto as demais tendem a oferecer menos obstáculos ao usuário.

No mais, se você deseja se tornar um especialista em Linux capaz de configurar todas as ferramentas de firewall Linux abordadas até aqui, recomendo que visite a página Profissionais Linux!

ebook completo e Gratuito

Aprenda a Dominar o Linux De Uma Vez Por Todas

baixe sua Cópia

APRENDA A DOMINAR O LINUX